em

Gosto Adoro Zangado

Uma estreia positiva no Enduro para Hugo Basaúla

Foto: OneShotFoto

O Enduro de Águeda teve a estreia de Hugo Basaúla nesta modalidade, deixando bons indicadores no seu primeiro contacto.

Recordamos que o piloto da KTM é o atual campeão nacional de Motocross e Supercross, e 2018 é um ano diferente. Em Portugal, optou por estar fora de grande parte das provas de MX, para se focar no SX nacional e Internacional. Agora com o apoio da KTM Racespec, depois de muitos anos ligado à Kawasaki, aproveitou o Enduro de Águeda para uma nova experiência.

ActionCam GearBest

Esta foi também uma prova onde regressou às 2t, alinhando com uma 250, num dia em que o piso escorregadio parecia privilegiar as 4t.

É obvio que o Enduro atual tem uma forte presença de ex-pilotos de MX, e é uma transição “fácil” para muitos. No entanto, há sempre algumas dificuldades nas primeiras adaptações, e são muitos os casos de pilotos que começaram logo a dar nas vistas, e outros que demoraram mais algum tempo.

Se olharmos para os pilotos principais no Campeonato, atualmente, Diogo Ventura e Luís Oliveira são exemplos dos bons frutos da escola do Motocross, mas em ambos os casos foi um processo longo ( também eles que começaram muitos mais jovens ), com passagens pelas classes mais baixas, antes de vingarem na Elite. João Vivas é o caso mais recente, tendo igualmente feito uma evolução etapa a etapa.

No entanto, há ainda casos de pilotos que chegaram, e mostraram logo que estão lá para vencer. Joaquim Rodrigues Jr, Luís Correia, são alguns exemplos mais “recentes”, de quem conseguiu logo estar na frente.

Hugo Basaúla foi mais um desses exemplos. Em Águeda, mostrou logo que estava ali para dar que falar, e “limpou” a concorrência na primeira passagem pela Cross Test. Basa foi igualmente muito rápido na Enduro Test, e esteve algum tempo na liderança na prova. As Extreme Test acabaram por ser a sua grande dificuldade, ainda para mais com este traçado artificial, onde sentiu maiores dificuldades. Acabou por ser mais rápido que a concorrência nas passagens pela Cross Test, e estar perto de vencer na Enduro Test.

No final, registou um espetacular terceiro lugar, e ficou bem patente a sua demonstração de qualidade no Enduro.

Tudo indica que terá sido uma presença pontual, e que dificilmente Basaúla irá regressar ao Enduro, mas uma coisa ficou bem demonstrada, poderá ser um grande nome da modalidade e estar na luta pela vitória. Um James Stewart do Enduro 😊

2018 está a ser um bom ano de Enduro, com o grande ritmo dos homens da frente, e as estreias de Rui Gonçalves e Hugo Basaúla.

Fica o desejo de ver em 2018 ou 2019, uma prova do Campeonato Nacional de Enduro com Luís Oliveira, Diogo Ventura, João Vivas, Gonçalo Reis, Hugo Basaúla, Rui Gonçalves, Luís Correia, entre outros!

Ethen Goggles

Diogo Ventura regressa às vitórias em Águeda

Ken Roczen de regresso à competição