em

Ken Roczen de regresso à competição

Começou o AMA MX, e Hangtown foi o palco do ponto de partida, com o regresso de Ken Roczen à competição.

O piloto da Honda tem sentido grandes desafios nos últimos tempos, com duas lesões graves a deixarem o #94 fora da sua moto durante muitos meses. Em 2017, uma violenta queda no SX, quase levou à amputação do braço, e em 2018, uma queda noutra prova de SX provocou uma lesão na mão que o fez parar alguns meses.

Embora Roczen seja claramente um piloto muito forte emocionalmente, estas duas paragens foram difíceis de gerir, quer fisicamente, quer emocionalmente. Ainda não está 100% curado do problema, e depois das consecutivas intervenções cirúrgicas que tem feito, não é fácil voltar a ter a frieza de lutar com tudo, sem pensar em lesões e quedas.

Ainda com muitas dores, poucos pensavam que ele conseguisse sequer concluir a prova, mas Roczen voltou a fazer das dele! Na primeira manga, esteve perto de conquistar um Top5, ao concluir em 6º. Depois já não foi tão fácil, com alguns contratempos e muitas dores, a deixarem Roczen no 16º lugar.
É certo que isto não é um lugar para Roczen, mas tendo em conta as circunstâncias, pode-se considerar mais uma grande demonstração de determinação do germânico.

As primeiras provas do AMA MX são ainda um ponto de recuperação, mas é claramente um candidato aos pódios muito brevemente.

Ethen Goggles

Uma estreia positiva no Enduro para Hugo Basaúla

Ryan Dungey de 150 2t